outubro rosa2

Consumidor acredita que inflação vai recuar, diz CNI

ÍndiceO consumidor brasileiro está otimista com a economia do País e acredita que a inflação e o desemprego irão recuar. O quadro foi apontado pelo Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), pesquisado pelo Ibope Inteligência em setembro. O indicador cresceu 1,3% neste mês em relação a agosto, atingindo 109,7 pontos.

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), contratante da pesquisa do Ibope, a pontuação é a segunda maior para o índice neste ano, atrás apenas dos 113,9 pontos atingidos em janeiro. "O resultado de setembro parece confirmar a tendência de recuperação do indicador", diz a entidade.

A pesquisa mapeia o sentimento dos brasileiros sobre situação do País e as expectativas da economia, sendo que quanto maior o índice, mais otimista está o consumidor. Todos os indicadores do Inec apresentaram melhora em setembro. A expectativa em relação à inflação cresceu 2,5%.

Otto quer mudar leis tributárias, Código Penal e regras políticas

RTEmagicC ottoalencar arissonmarinho.jpgEleito pelo PSD na noite de ontem, Otto Alencar chega ao Senado da República com a promessa de ser um parlamentar "reformista". "Eu quero lutar pelas reformas importantes para o Brasil. O Congresso tem essa dívida com o país", disse, ontem, em meio à comemoração no Palácio de Ondina, ao lado do governador eleito, Rui Costa (PT), e de correligionários.Entre as reformas prioritárias para Otto, estão mudanças no Código Penal, como a redução da maioridade; a reforma política, com eleições gerais e de cinco em cinco anos; e o fim do fator previdenciário.

"A presidente Dilma Rousseff já se posicionou contra o fim do fator previdenciário, mas acho o cálculo injusto. Eu vou conversar com ela para ver se tem como rever isso. Eu não vou para lá dizer 'amém' para tudo que o governo que eu vou ajudar a construir quer", afirmou o atual vice-governador do estado, que, com quase 56% dos votos válidos, venceu a disputa contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB).

Número de empresas inadimplentes acelera em agosto e cresce 7,64%, mostra indicador do SPC Brasil

7524b0efb209ad377de1f35b03ae16acEmpresas do setor de serviços lideram ranking da inadimplência. É o quinto mês consecutivo que a alta fica acima dos 7%

O número de empresas inadimplentes voltou a crescer no mês de agosto. Segundo indicador calculado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), a quantidade de empresas com contas em atraso registrou alta de 7,64% na comparação com agosto de 2013. A variação foi levemente superior à apresentada em julho deste ano, quando o crescimento observado fora de 7,11%. O resultado de agosto representa o quinto mês consecutivo com alta superior ao patamar de 7% e foi puxada, principalmente, pelas empresas do ramo de serviços, que apresentaram alta de 10,76%.

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o aumento da inadimplência das empresas é reflexo do atual cenário de crescimento econômico em desaceleração, que aliado à manutenção dos juros em patamares elevados e à inflação no teto da meta cria dificuldades relacionadas ao pagamento das dívidas. "Além disso, a piora da confiança do consumidor e o crescimento da inadimplência da pessoa física também são fatores que influenciam a deterioração da capacidade de pagamento das empresas", destaca a economista.

Galeria de Fotos