20160121 175231

Congresso Note / Nordeste da pequena empresa

cartaz nv

Para os dias 02 e 03 de maio de 2016, no Centro de cultura Adonias Filho, Jardim Ó, Centro Itabuna-BA. A realização do VII CONGRESSO NORTE NORDESTE DA PEQUENA EMPRESA. Políticas públicas para o desenvolvimento dos pequenos negócios. NÓS PODEMOS MAIS.

A abertura dos trabalhos será dia 02 às 13:30Hs. Já a abertura oficial começará em seguida com formação da mesa compostas por autoridades de generic viagra without prescription âmbito federal, estadual e municipal, representantes dos diversos segmentos da sociedade e em especial as do segmento Empresarial, logo em seguida teremos a execução dos hinos da Bahia e do hino nacional brasileiro, teremos os pronunciamentos das autoridades. No decorrer do ato de abertura será entregue uma placa com texto de agradecimento ao Jornalista e Empresário da comunicação José Adervan, proprietário do Jornal Agora, uma homenagem merecida pelos serviços prestado por este importante meio de comunicação ao desenvolvimento econômico e social a Itabuna e região.

BNDES MELHORA CONDIÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

A instituição de fomento não mudou as condições de refinanciamento para as empresas de grande porte

dinheiro

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou na terça-feira, 19, as novas condições para clientes que desejem refinanciar créditos de diferentes linhas de financiamento.

O refinanciamento valerá para o Cartão BNDES, o Programa de Sustentação do Investimento (PSI) e BNDES Procaminhoneiro. Além disso, o banco de fomento reduziu os juros do BNDES Progeren, linha para financiamento de wow it's great cialis and women capital de giro.

Em fevereiro, o BNDES já havia anunciado redução nos juros para capital de giro, bens de capital e exportações, além do refinanciamento de operações do PSI, em meio a um estímulo à economia anunciado pelo governo federal em janeiro. À época, o banco de fomento calculava que as novas condições poderiam demandar até R$ 26 bilhões.

Agora, o BNDES melhorou as condições de refinanciamento do PSI e incluiu a possibilidade de refinanciar as dívidas no Cartão BNDES e no BNDES Procaminhoneiro, que não estavam no pacote de fevereiro. "O principal objetivo das medidas é dar fôlego financeiro para que as empresas, especialmente as de menor porte, possam atravessar o período atual, de dificuldades no cenário econômico", diz a nota divulgada pelo BNDES.

Segundo a instituição de fomento, portadores do Cartão BNDES, que oferece crédito pré-aprovado para comprar insumos diversos, incluindo maquinários, poderão refinanciar, em até 48 meses e com 12 meses de free samples of levitra lifestyle carência, o saldo devedor de suas operações. A taxa do refinanciamento será Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), hoje em 7,5% ao ano, acrescida de spread de 3,5% do BNDES e de até 7% para o agente financeiro.

O limite para refinanciamento é de R$ 1 milhão. No ano passado, houve 746 mil operações no Cartão BNDES, com desembolso de R$ 11,2 bilhões. No BNDES PSI e no BNDES Procaminhoneiro, até seis prestações já vencidas de wow look it levitra professional overnight delivery empréstimos vigentes poderão ser refinanciadas em até 18 parcelas. Antes, só era possível refinanciar compra de ônibus e caminhões (limitada a três parcelas atrasadas). Agora, também podem ser refinanciados máquinas e equipamentos.

86% DOS BRASILEIROS AJUSTARAM ORÇAMENTO PARA ENFRENTAR A CRISE, APONTA PESQUISA DO SPC BRASIL

41

A crise econômica tem forçado os brasileiros a mudarem seus hábitos de consumo. Uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais e em cidades do interior revela que 85,9% dos brasileiros se viram obrigados a ajustar o orçamento doméstico para se defender dos efeitos da crise. Em virtude do agravamento da situação econômica do país, 87,0% dos entrevistados admitiram que agora estão dedicando mais tempo para pesquisar preços e 80,5% estão evitando comprometer sua renda com compras de calçados e roupas. O estudo ainda revela que 44,3% dos entrevistados estão com as finanças descontroladas

A lista de restrições em meio à turbulência financeira é extensa: há os que agora evitam comprar produtos e serviços com os quais sempre estiveram acostumados (79,1%); os que passaram a optar por produtos de marcas mais baratas (76,9%) e os que deixaram de viajar (75,5%) e de sair com os amigos para bares e restaurantes (71,3%). Gastos com produtos de beleza (56,8%) e serviços como internet e celular (30,7%) e TV por assinatura (28,9%) também foram alvos de buy real cialis lifestyle cortes, mas em menor proporção que os demais. Para completar a lista, 25,9% dos entrevistados deixaram de ir à academia e 25,1% tiveram de abandonar cursos de idioma, escolas particulares ou faculdades.

"A inflação, os juros elevados e o desemprego pioram a situação financeira das famílias e, muitas vezes, exigem mudanças no padrão de gastos para se adequar a nova realidade. Apesar do momento difícil, esse é uma hora propícia para desenvolver hábitos mais saudáveis e evitar desperdícios e compras desnecessárias", orienta a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Em meio à crise, brasileiro vai atrás de renda extra

A pesquisa mostra que o rearranjo das finanças que o brasileiro tem posto em prática tem como objetivo tanto o corte de despesas, como também o aumento de sua fonte de renda. Segundo o levantamento, 41,7% dos entrevistados que estão empregados disseram estar fazendo 'bicos' ou trabalhos extras para complementar o salário. O percentual é mais expressivo entre os jovens de 18 a 34 anos (49,5%) e membros das classes C, D e E (47,0%). Dentre os entrevistados que não estão trabalhando, o percentual de cialis 20 mg quem admite ter começado a fazer bicos para sobreviver em meio a crise é ainda maior e chega a 55,0% da amostra.

Quatro em dez convivem com desemprego dentro de casa

A escalada do desemprego tem atingido cada vez mais pessoas. Quatro em cada dez brasileiros (42,2%) têm algum familiar desempregado dentro da própria casa e 76,3% conhecem alguém que foi demitido nos últimos seis meses ou que tiveram de encerrar as atividades do seu negócio. E as perspectivas não são boas, pois para 82,7%, o desemprego seguirá aumentando em 2016.

Galeria de Fotos